Skip to content

Conselho aprova alterações em formação de professores

fevereiro 7, 2012

Reunião do dia 01/02 discutiu mudanças na deliberação CEE 78/08, que trata da formação docente

De 24 conselheiros e 5 suplentes do Conselho Estadual de Educação (CEE), a primeira reunião do ano contou com 17 participantes. Como pauta única, aprovação de mudanças na Deliberação CEE 78/2008, processo agendado desde a última reunião do ano passado.

A deliberação nº 78, de 2008, trata da formação de professores. Apesar de algumas mudanças terem sido aprovadas, o documento foi compartilhado apenas entre os conselheiros, não sendo possível acesso terceiros que acompanhavam a reunião (é o caso da reportagem do Observatório). O documento também não foi exibido no telão para leitura durante a sessão.

Segundo funcionários do CEE, o mesmo será publicado após a revisão das relatoras Guiomar Melo e Rose Neubauer, e terá que ser aprovado em outras instâncias.

Clique aqui para ler a deliberação vigente CEE 78/08.

No ano passado, formou-se uma comissão para elaborar uma proposta de alteração da resolução 78/08. Após iniciativa de alguns conselheiros, Rose, Guiomar e Neide Cruz fizeram proposta final, tentando consolidar, afirmou Rose, observações feitas na Câmara de Educação Básica.

Sabemos que os alunos recebem professores mal formados, afirmou a conselheira Guiomar, justificando a relevância de alteração: “é um assunto que tem levantado controvérsia, tem sido difícil encaminhar, e as iniciativas tanto no Plano Nacional quanto nos Estados, de produzir mudanças, deparam com divergências que são ao mesmo tempo ideológicas, teóricas, e motivadas por interesses corporativos ou de negócios”.

Nas discussões, problematizou-se a má formação dos cursos de pedagogia. “Conhecemos o perfil dos alunos, que mesmo nas escolas públicas, não são os alunos que tem os melhores desempenhos. Então sabemos que aluno está chegando ao curso de formação com saída precária do ensino médio”, afirmou Rose.

Entre as dificuldades dos futuros professores – não só no curso de pedagogia – está a dificuldade de leitura. O que fazer com essas dificuldades oriundas da educação básica foi uma discussão que tomou grande parte da discussão de reformulação da deliberação 78. Todos concordaram que o ensino dos futuros professores é precário durante todo o processo de educação, mas divergiam em que medidas tomar para sanar de forma imediata esse problema.

Alguns, como Rose e Guiomar, eram a favor da própria instituição de ensino superior suprir essas carências. Outros questionavam se esse papel deveria ser da instituição de ensino superior, em vez da básica.

Outros, como João Cardoso Palma (conselheiro e secretário-adjunto de educação), deram exemplos concretos de como as aulas para o curso de pedagogia, independente da matéria em questão, se transformou em curso de interpretação de texto.

Apesar das mudanças terem sido votadas, ainda não existe consenso. “É tema que está em andamento, novas visões vão aparecer”, afirmou Guiomar em sua apresentação.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: