Skip to content

CME-Piracicaba: Nova composição toma posse amanhã

outubro 17, 2012

O blog De Olho nos Conselhos publica textos de cidadãos(ãs) que acompanham reuniões dos conselhos de educação de sua cidade ou estado, reservando-se o direito de editar as informações. O conteúdo do relato, de caráter pessoal, não é de responsabilidade do Observatório da Educação. Escreva para observatorio@acaoeducativa.org para participar.

Por Carlos Henrique Tretel, de Piracicaba (SP)

A posse da nova composição do CME-Piracicaba está confirmada para a próxima quinta-feira, dia 18 de outubro. A lista dos convocados para o evento segue no final do post.

Na reunião extraordinária do dia 01/08/12 do Conselho de Educação de Piracicaba (CME-Piracicaba), foi anunciado que o edital para a renovação, mediante eleição, de parte de seus membros para a gestão 2012/2014 seria publicado em breve. Na extraordinária seguinte, do dia 22/08/12, foi informado ainda, mesmo sem a desejável comprovação material, que esse edital teria sido publicado no dia 02/08. Porém, registrei pedido para a publicação desse edital no Portal dos Conselhos de Piracicaba, no http://conselhos.piracicaba.sp.gov.br.

O que pude testemunhar em algumas ocasiões, desde essa reunião extraordinária do dia 01/08 e em muitas outras reuniões e encontros que têm acontecido pela cidade é a objetivação da renovação do CME-Piracicaba. Esse desejo pode ser visto nas atas das reuniões ou encontros dos dias 01/08, 22/08, 28/08, 10/09, 13/09 e 20/09. A meu ver, esse processo está sendo muito bem conduzido pela diretoria do CME-Piracicaba. Acho apenas que, com a publicação do edital, pode ele ficar ainda melhor.

XVI Encontro da Uncme

Os atuais conselheiros participaram do XVI Encontro da Uncme (realizado em Pindamonhangaba, no mês de agosto) e os efeitos desse encontro foram vistos nas reuniões acima relatadas. Poderíamos considerar a participação dos conselheiros de Piracicaba nesse encontro da Uncme como o momento fundante de uma nova (e melhor) consciência de suas funções, a partir do qual se redimensionaram os seus limites e possibilidades. Todos os conselheiros voltaram de Pindamonhangaba inquietos e se mostraram animados com a possibilidade de sensibilizar os novos membros quanto ao real papel que a sociedade espera dos conselheiros.

Em função do evento, a atual presidente Sônia e a conselheira Marilice prepararam uma apresentação acerca do papel dos conselhos e dos conselheiros de educação a fim de que fossem distribuídos e discutidos com os novos indicados.

Aconselho, assim, até para que nos familiarizemos todos com o que se espera dos conselhos e dos conselheiros de educação, a leitura das palestras proferidas lá em Pindamonhangaba, no site do próprio evento, quais sejam:

– Plano Municipal de Educação de São José dos Campos, por Alberto Alves;
– Os desafios da educação brasileira e qual contribuição dos Conselhos Municipais de Educação, por Clélia Mara Santos;
– Brasil Hoje. Indicadores sociais para a gestão do município, por Elaine Oliveira;
– A experiência do Bairro-Escola, por Helena Singer e Henrique Cunha;
– Valorização e Formação dos Profissionais de Educação. Algumas reflexões, por Lisete Arelaro;
– O papel das avaliações institucionais no ensino, por Ocimar Alavarse;
– Projetos Multidisciplinares na Educação de Pindamonhangaba, pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Pindamonhangaba.

Relação dos convocados para a reunião extraordinária do Conselho de Educação de Piracicaba, marcada para 18/10/12:

Alessandra B. Nunes
Anilton Rissato
Antonio Agostinho Caporali de Souza
Antonio Barrichello
Benedita Ivete Brandine Negreiros
Camila Theodoro da Silva
Carlos Marcelo Yamakawa
Cecília Silva Soares
Cláudia da Silva Santana
Cláudio Volcov
Dagmar de Paula Queluz
Daniela Maria Sbravatti
Daniela Menochelli
Denise Guedes Silva
Elaine Galani Abadejo
Erica Berto
Gislaine Moraes Dias
Ivone Oliveira Tavernard
José Alexandre Pereira
José Chabregas
José Fábio Paes
Josiane Maria de Souza
Jurandir Silvestre
Letícia Vidor de Sousa Reis
Liliane Conceição Nazareto Franco Bueno
Lúcia de Oliveira Lima
Maria Aparecida Villa Nova
Maria Edilaine C. Pinto
Maria Madalena Tricânico de C. Silveira
Marilice Trentini Oliveira
Pedro Motoitiro Kawai
Renata Schiavon
Renata Virgínia Milanez
Ronaldo Maciel
Rosa Maria Pompeu Ferreira
Rosana Calil
Rosilda Ismênia Batista Pereira
Sálvia Terezinha Barella Medina
Sandra Helena Perina
Sarah R.M.Soares Kalil
Simone Portugal
Solange Parisoto Lopes Nappi
Sônia Cristina Ramos
Tainá-Rekã Wanderley de Pádua
Vera Lúcia A. de Moura
Zélia dos Reis

*Leia aqui o relato completo enviado por Carlos Henrique. Ele agradece os conselheiros atuais pela atenção e convida os novos a interagir com a sociedade através desse blog.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. Carlos Henrique Tretel permalink
    outubro 17, 2012 1:25 pm

    Olá, boa noite a todos(as).
    Por oportuno, uma vez que o XVI Encontro da Uncme de São Paulo ainda dá o que falar, sinal, aliás, de que foi ele produtivo, compartilho a notícia, disponibilizada no http://www.uncme.com.br em forma de convocação, de um novo encontro da Uncme, agora nacional. Acompanhemos mais esse importante encontro, compartilhando por aqui (por que não?) nossas impressões.
    Um abraço, Carlos.

    Convocação para o XXII Encontro Nacional dos Conselhos Municipais de Educação

    ________________________________________
    Administrador – 27/08/2012 15:10h

    CONVOCAÇÃO
    Nos termos dos Artigos 12 & 1o e do Artigo 22, inciso VII do Estatuto da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação – UNCME, ficam convocados os membros do Conselho Pleno, constituído pela Diretoria e pelos Presidentes dos Conselhos Municipais de Educação associados ou por seus representantes devidamente credenciados, para Reunião ser realizada durante o XXII Encontro Nacional dos Conselhos Municipais de Educação no período de 17 a 19 de outubro de 2012, no EXPOGRAMADO, em Gramado, cidade do estado do Rio Grande do Sul, com o tema central “Direito à Educação: Sistema Nacional e planos de Educação. A abertura está prevista para 19 horas do dia 17. A pauta da reunião está organizada com a seguinte ordem do dia:
    • Exposição dos avanços, limites e possibilidades da UNCME;
    • Relatório relativo às ações do ano 2012;
    • Apresentação dos Relatórios das Mesas de Interesses;
    • Compromissos da UNCME;
    • Escolha do local e período do XXIII Encontro Nacional;
    O processo democrático se fortalece com a presença e a participação dos conselhos Municipais de Educação, na defesa do direito de todos(as) e de cada um a uma educação de qualidade, justa e equacional.
    Nossos cordias cuprimentos, em nome da Diretoria da UNCME.

    Maria Ieda Nogueira
    Presidente da UNCME

    • Simone Portugal permalink
      outubro 24, 2012 3:07 am

      Olá gente boa, bom dia! Escrevo para compartilhar a esperança e alegria que estou sentindo com a continuidade das ações do Conselho Municipal de Educação de Piracicaba. Iniciamos uma nova gestão e minhas primeiras impressões foram muito positivas, visto que o grupo de novos (e alguns “velhos”) conselheiros se mostrou bem animado com o grande e importante trabalho que tem pela frente. Uma importante iniciativa do conselheiro Ronaldo em estabelecer um contato mais periódico por e-mail pode favorecer e agilizar nosso trabalho, pois muitas vezes a distância entre os encontros presenciais e as amarras burocráticas, dificulta uma atuação mais eficiente frente às demandas existentes. Espero que este canal possa também contribuir para dialogarmos mais sobre nossos sonhos, dificuldades e propostas para que o CME de Pira possa contribuir com a educação do Município. Eu também como Jean Paul Sartre ” …ainda sinto a esperança como minha concepção de futuro”. Esperança de termos na educação um caminho (não o único) para a emancipação, para a construção de um mundo melhor para esta e futuras gerações; esperança de possibilitar a jovens e crianças que têm na escola o único caminho para mudar de vida, os “esfarrapados do mundo” como dizia Paulo Freire, uma luz, um sinal, uma esperança de que um outro mundo é possível! Um mundo includente, justo e solidário, em que o “ter” não impeça o “ser”. Um município educado e educando-se cotidianamente, no qual educação não é tarefa apenas da escola e dos professores, mas de todas as pessoas, cidadãos e cidadãs que nele vivem e convivem. Um município educador sustentável, que transforme seus espaços em estruturas educadoras, desde as faixas de pedestre, o transporte coletivo, os equipamentos de lazer e cultura, a ciclovia, a praça pública… Município no qual as relações revisitam a ideia de comunidades, pautadas pelo diálogo e cuidado amoroso com todos os seres que nela convivem. Para tanto a participação cidadã é ponto fundamental! Compartilhar responsabilidades, somar esforços, envolver-se na formulação e implantação de políticas públicas, dialogando sobre as prioridades e os desejos da população, com vistas ao bem comum, à felicidade por todos almejada. Penso que a nova gestão do CME de Pira tem muitos desafios pela frente e para isso será necessário determinação, paciência, estudo, diálogo e porque não dizer “amor” pelo mundo, pela Vida. Podemos começar conhecendo melhor os documentos que orientam nossa ação, desde o Estatuto, a lei de criação dos Conselhos, as escolas que estão sob nossa responsabilidade (por que não programarmos algumas visitas?) o Plano Municipal de Educação (precisamos tirá-lo da “gaveta”), as leis e diretrizes municipais, estaduais e federais da educação básica, dentre outros. Estou muito esperançosa que faremos um belo trabalho! No que depender de mim, contem comigo! abraço vocês, Simone Portugal (representante de pais e mães de estudantes de escolas públicas estaduais)

      • Carlos Henrique Tretel permalink
        outubro 25, 2012 2:02 pm

        Suas colocações nos levam, Simone, a pensar nos ideais das cidades educadoras. Maiores informações sobre elas podem ser obtidas no http://edcities.org . Até muito recentemente, aliás, éramos uma das cidades educadoras brasileiras. Mas, inexplicavelmente, e não se sabe desde quando, deixamos de fazer parte desse rol de cidades. Digo inexplicavelmente porque, em 2009, Piracicaba se fez representar no XI Congresso Internacional de Cidades Educadoras (AICE) realizado na Cidade de Guadalajara, no México, quando a apresentação da experiência de Piracicaba, segundo nota da Secretaria de Educação, foi muito aplaudida. A nota completa sobre a participação de Piracicaba no evento pode ser conferida no http://www.educacao.piracicaba.sp.gov.br/site/todas-as-noticias/169-trabalho-das-secretarias-de-esporte-e-educacao-e-selecionado-em-congresso-internacional.html .
        Contudo, suas palavras nos levam a rejeitar o determinismo histórico, Simone. Ao contrário, nos fazem pensar, posto que possível, um outro mundo é possível?, que se em determinado momento histórico a cidade deixou de ser educadora, em outro pode, se assim ela entender melhor, voltar a ser uma cidade educadora, não é mesmo?
        Sugiro assim, principalmente se a sua idéia, Simone, de visitar as escolas for adiante, que nessas visitas sejam anotados os endereços eletrônicos dos(as) diretores(as) de escola, dos(as) coordenadores(as) pedagógicos(as), dos(as) professores(as) e dos(as) funcionários(as), objetivando discutir, inicialmente apenas com esses profissionais, sobre a necessidade de fomentarmos pela cidade a convicção de que todos são importantes para o processo de formação de nossas crianças, como aliás bem posto na carta das cidades educadoras, disponível ( hoje em dia, inclusive na língua portuguesa) no http://w10.bcn.es/APPS/eduportal/pubFitxerAc.do?iddoc=84472 .
        O CME-Piracicaba pode inclusive, desde que vencedora a sua proposta de cidade educadora, ter esses profissionais como parceiros no necessário (e desgastante) trabalho de convencimento das comunidades a que façam parte. Podem eles, em um segundo momento, coletar os endereços eletrônicos dos pais e dos alunos interessados em conhecer a proposta, interagindo com os profissionais da unidade escolar a que pertençam e com os conselheiros do CME-Piracicaba. Inicialmente essa interação pode resumir-se em receber por e-mail as notícias do CME-Piracicaba, mas pode caminhar com o tempo, e com a socialização de textos e vídeos, para um debate minimamente embasado sobre a escola que temos e a que queremos.
        Tanto isso é possível que a conselheira Tainá, por exemplo, recentemente compartilhou conosco o link do vídeo da palestra proferida pela professora Vera Alves da UFSCAR para o curso de formação de conselheiros realizado aqui em Piracicaba. Podemos, mediante ousadias semelhantes à de Tainá, oportunizarmos (de preferência através do Portal dos Conselhos quando fortalecido) bons vídeos, boas palestras, bons textos para a sociedade, em geral, e para os pais e alunos cujos endereços postais eletrônicos se mantenham atualizados junto ao CME, em especial.
        É irresponsável continuarmos, a meu ver, achando (ainda que com razão) não estarem os pais e alunos preparados para um debate sério sobre a educação que queremos, se não imaginarmos também formas de, juntamente com eles, superarmos esse (real mas não intransponível ) obstáculo. No início, é bem possível que bem poucos pais e alunos se cadastrem para interagir, ou melhor, para conviver em ambientes virtuais, mediante a interação do CME-Piracicaba.
        Mas se com aqueles poucos que porventura ousarem fazer parte dessa espécie de rede colaborativa de aprendizagem estabelecermos uma relação acolhedora e produtiva, podemos, com a ajuda deles e com o tempo, sensibilizar novos pais e alunos a participarem.
        É começar para vermos onde poderemos chegar.
        Mas de início, repito, acredito que o trabalho de arregimentação, a saliva, no popular, tenha que ser gasta com os profissionais que, no final das contas, se confirmarão, acredito, como aqueles que farão a diferença para o sucesso da proposta de cidade educadora a que você se refere, Simone. Se proposta a ser novamente encampada pela cidade. Logicamente.
        O que você acha? Um abraço.

      • Carlos Henrique Tretel permalink
        outubro 26, 2012 11:49 am

        Errata: Em minha mensagem de ontem, onde se lê http://edcities.org leia-se http://www.edcities.org

  2. Carlos Henrique Tretel permalink
    outubro 17, 2012 11:52 pm

    Olá! Por oportuno também, importante que fiquemos de olho no senado. Vejam o que publicou terça-feira a Agência Câmara de Notícias, www2.camara.gov.br. Não leio jornais, tampouco assisto a telejornais, mas aposto que isso não foi destaque, sequer comentado, ainda que às pressas, por nenhum dos veículos de comunicação. Que comunicam, aliás, o que mesmo? De bom? Comunicam o quê? Em todo caso, e em caso de qualquer novidade, o seu repórter Esso voltará em edição ex-tra-or-di-ná-ria.

    16/10/2012 19:51
    Câmara conclui votação do PNE, que amplia recursos da Educação
    Brizza Cavalcante

    Angelo Vanhoni havia sugerido a aplicação de 8% em seu último relatório.
    A Câmara concluiu, nesta terça-feira (16), a votação do novo Plano Nacional de Educação (PNE – PL 8035/10), que destina 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do País para políticas de educação. A proposta segue agora para o Senado.

    A conclusão da votação ocorreu com a aprovação da redação final do projeto pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). A proposta, que tramitava em caráter conclusivo, foi aprovada por uma comissão especial no dia 26 de junho.

    Índice
    O índice de 10% vinha sendo reivindicado por deputados da oposição, parte da base aliada do governo e entidades da sociedade civil.

    Hoje, a União, os estados e os municípios aplicam juntos cerca de 5% do PIB na área. Na proposta original do Executivo, a previsão era de investimento de 7% do PIB em educação. O índice foi sendo ampliado gradualmente pelo relator, deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), que chegou a sugerir a aplicação de 8% em seu último parecer.

    Um acordo entre governo e oposição, no entanto, garantiu o apoio do relator aos 10%. Pelo texto aprovado, o governo se compromete a investir pelo menos 7% do PIB na área nos primeiros cinco anos de vigência do plano e 10% ao final de dez anos.

    Professores
    Outro destaque do novo PNE foi a antecipação da meta de equiparação do salário dos professores ao rendimento dos profissionais de escolaridade equivalente. O relatório de Vanhoni previa o cumprimento dessa meta até o final da vigência do plano. Um destaque aprovado, por sua vez, estabelece a equiparação até o final do sexto ano do PNE.

    A comissão especial aprovou ainda o prazo de um ano após a sanção do PNE para a aprovação da Lei de Responsabilidade Educacional. O projeto, que já está em tramitação na Câmara (7420/06), estabelece responsabilidades de gestores públicos na melhoria da qualidade do ensino. Ambos os destaques aprovados receberam o apoio de Vanhoni.

    Fonte> www2.camara.gov.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: