Skip to content

Secretário defende participação do CEE na consolidação do programa Educação: Compromisso de São Paulo

agosto 12, 2013

Levantamento do Observatório da Educação lançado em setembro do ano passado analisou as medidas e as críticas ao programa da Secretaria

O secretário de educação do estado de São Paulo, Herman Voorwald, esteve presente nessa última quarta-feira, 07/08, na posse dos novos conselheiros do Conselho Estadual de Educação (CEE-SP) e falou sobre o programa Educação: Compromisso de São Paulo. Aos membros do conselho, ele ressaltou a importância do colegiado: “A responsabilidade dos senhores é enorme, no sentido de conosco atuar na busca não só da consolidação do programa, mas de dar às crianças e jovens do estado uma boa educação”.

Educação: Compromisso de São Paulo

Instituído pelo Decreto nº 57.571, o programa Educação: Compromisso de São Paulo foi lançado em dezembro de 2011 com o objetivo de implantar políticas de valorização da carreira docente e posicionar a rede paulista entre as melhores do mundo até 2030, levando em consideração o desempenho da rede no ranking PISA, avaliação padronizada internacional.

Herman comentou sobre as reuniões que participou com representantes de escolas estaduais, para que eles apresentassem suas propostas de melhoria da educação no estado: “Foram aulas de educação básica. É impressionante a qualidade da documentação, da fala e da maneira comprometida com que a grande maioria dos participantes se apresentava”.

De acordo com o secretário, a SEE recebeu mais de sete mil sugestões a partir desses encontros, que foram trabalhadas internamente pela Secretaria. Ele disse ainda que a SEE está em contato semanal com os professores e as secretarias municipais relacionadas: “Esse programa foi construído pela rede, é da rede”. Sobre o novo modelo de ensino integral, um dos pilares do programa, o secretário afirmou que atualmente 69 escolas aderiram.

Para o conselheiro empossado e empresário Jair Ribeiro, o programa é ambicioso, muito bem estruturado e deveria ser um projeto de estado, não de governo. A Parceiros da Educação, associação que Ribeiro é fundador, produziu um documento sobre as medidas necessárias para se dar um salto na qualidade da educação básica paulista, a partir da visão de doze especialistas. Foi através desse documento que o empresário teve contato com o secretário Herman Voorwald, que escutou suas ideias e foi consultar a rede para o processo de planejamento do ECSP. Ribeiro disse que o CEE deve se aproximar do “programa revolucionário da Secretaria”, para assegurá-lo nas próximas décadas, com o objetivo de alcançar os resultados esperados.

Críticas

Em agosto de 2012, o Observatório da Educação lançou um extenso levantamento sobre o ECSP, a partir de dois meses de apuração e dez pedidos de informação à Secretaria Estadual de Educação, em que apurou, como principais problemas, a ausência de proposta orçamentária e planejamento de longo prazo, a falta de transparência em parcerias e as dificuldades na implantação de modelo de ensino integral.

Como apurado pelo Observatório na época, sem um Plano Estadual de Educação, que estabelece metas de médio e longo prazo, o governo de São Paulo lançou uma série de projetos para a rede de ensino, sendo alvo de críticas pela descontinuidade de políticas. Outro problema apontado no programa é o fato de ser mais restrito que um plano de educação, já que este pressupõe um diagnóstico, metas decenais e participação ampla da sociedade na sua construção e monitoramento.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: